Natalenses enfrentam greve de ônibus no primeiro dia de Copa do Mundo

O resultado imediato da greve foi o transtorno grande para população que precisa do transporte coletivo

Anna Ruth Dantas - Especial para O Estado, O Estado de São Paulo

12 de junho de 2014 | 11h53

 Natal - Os natalenses começaram a quinta-feira enfrentando  muitos problemas no transporte. Os motoristas e cobradores de ônibus deflagraram hoje paralisação por tempo indeterminado. O resultado imediato da greve foi o transtorno grande para população que precisa do transporte coletivo. Paradas de ônibus lotadas, pessoas buscando o transporte alternativo, como são chamadas as vans, e as pessoas se atrasando para os seus compromissos devido a greve.

Mesmo com o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários garantindo que estava cumprindo a frota de emergência, equivalente a 30%, apenas 90 minutos depois do horário normal, às 6h, foi que os primeiros ônibus começaram a fazer os trajetos na cidade.

Uma nova assembléia da categoria está marcada para às 10h de hoje.Os rodoviários reivindicam um reajuste de 16%. Em uma última tentativa de acordo, ocorrida ontem e mediada pelo Ministério Público do Trabalho, foi proposto 5,82%, mas os rodoviários não aceitaram.

A tensão na cidade ganha contornos ainda maiores porque amanhã a capital potiguar sediará o seu primeiro jogo na Copa do Mundo, com o México enfrentando a seleção do Camarões.

Mais conteúdo sobre:
NatalCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.