Naufrágio em Manaus explicita aliciamento sexual de meninas

Além dos 11 mortos, o naufrágio do barco regional Princesa Laura, ocorrido no fim da tarde de domingo, deixou a certeza de que a prática de aliciamento de meninas para programas sexuais com turistas estrangeiros em municípios do interior do Estado continua.Pelo menos duas das vítimas, adolescentes de 16 e 17 anos, estavam no barco sem o conhecimento dos pais e foram vistas em Barcelos acompanhadas por turistas no sábado.A baixa faixa etária das vítimas também impressionou aos técnicos da Capitania dos Portos. Entre os 11 mortos, oito eram do sexo feminino, sendo que apenas duas eram crianças: Nicole Macedo, de seis anos, e Nixon Macedo, de 3 anos, filhos de Alvacir Macedo, de 52 anos, que também morreu no acidente. Do restante das vítimas, cinco eram meninas entre 16 e 20 anos e, segundo testemunhas, todas muito bonitas.Alguns parentes das vítimas, que estavam no Instituto Médico Legal na manhã desta segunda-feira para identificar os corpos, mostraram-se surpresos ao saber que algumas das meninas estavam no barco.É o caso, por exemplo, de Taiane Benício, de 17 anos, reconhecida pelo pai que pensava que a filha estava passando o fim de semana na casa de uma amiga, em Manaus.Taiane e Hingridy Viana fazem parte do grupo de adolescente que foi visto no sábado em Barcelos na companhia de turistas estrangeiros. Segundo depoimentos de alguns sobreviventes, elas teriam chegado àquele município a bordo de uma lancha rápida, de propriedade particular, no sábado pela manhã, com o grupo de turistas. Depois de passarem o dia juntos, elas foram deixadas no barco, enquanto a lancha seguia para outro destino.A prática de aliciamento de meninas para programas com turistas é muito comum em Manaus. Tanto que, durante a madrugada, um outro grupo de meninas que também veio de Barcelos, a bordo de outra lancha, esteve no IML para saber notícias das companheiras. Elas não quiserem se identificar, mas algumas deram a entender que estavam no município em companhia de homens estrangeiros.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2004 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.