Navio carregado com lixo inglês zarpa do Porto de Santos

Embarcação deve chegar à Europa no dia 17; oito contêineres não foram embarcados e seguem no RS

Rejane Lima, O Estadao de S.Paulo

06 Agosto 2009 | 00h00

O navio MSC Oriane deixou o Porto de Santos pouco depois das 14 horas de ontem levando de volta à Inglaterra quase todo o lixo trazido indevidamente para o Brasil. Ao todo, foram carregados 40 contêineres com lixo no Porto de Rio Grande (RS) e 41 no Porto de Santos. Permanecem no País, entretanto, os oito contêineres armazenados em uma estação aduaneira (porto seco) em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, que deverão ser devolvidos à Europa em uma segunda etapa. Atracado no Terminal da Santos Brasil, no Guarujá, desde as 20 horas de terça-feira, o navio começou a ser carregado às 22 horas do mesmo dia. A conclusão dos trabalhos ocorreu pouco antes do meio-dia de ontem, porém, a embarcação deixou o cais santista apenas às 14 horas, por causa dos trâmites burocráticos da documentação. Além de receber os contêineres com lixo, a navio foi carregado em Santos com outros 800 contêineres com cargas para exportação. Antes de atravessar o Atlântico, o MSC Oriane fará uma escala no Porto de Itaguaí, no Estado do Rio, e a previsão é que chegue ao Porto de Felixstowe, na Inglaterra, no dia 17. Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Receita Federal acompanharam o embarque do lixo. A descoberta da carga mobilizou diversos órgãos. A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar crimes como o de falsa declaração de conteúdo, pois, na documentação de importação, a carga foi descrita como polímero de etileno e resíduos plásticos para a reciclagem. O Ministério do Meio Ambiente pediu ajuda ao Itamaraty, que contatou o Reino Unido e o Secretariado da Convenção de Basileia, que em 1993 proibiu o transporte internacional de lixo. A Justiça Federal determinou a devolução da carga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.