Navio envolvido em acidente no Rio pode deixar o País

A 4.ª Vara Federal Criminal de Niterói, no Rio de Janeiro, liberou nesta sexta-feira, 27, o navio cargueiro Roko e seus tripulantes para deixarem o País. A decisão foi transmitida à Capitania dos Portos do Rio. O Roko, um frigorífico de 108 metros de comprimento e bandeira das Bahamas, que seguiria para a Ucrânia, ficou retido desde o dia 17, quando se chocou com a traineira Costa Azul, onde oito das 12 pessoas que estavam a bordo morreram. O comandante do Roko e seu imediato já depuseram na Capitania dos Portos e na Polícia Federal. Eles disseram que a traineira causou o acidente ao realizar uma manobra repentina, entrando na rota do navio. Para o capitão dos portos do Rio, o capitão-de-mar-e-guerra Monteiro Dias, a liberação do Roko e seus tripulantes não atrapalha a investigação. "Não tem mais nenhuma necessidade de reter o navio. O que precisávamos, na parte pericial e em declarações, já obtivemos", disse o militar. Ele afirmou também que ainda é cedo para chegar a uma conclusão sobre o episódio. A Capitania dos Portos tem prazo até meados de janeiro para concluir seu inquérito.

Agencia Estado,

27 de outubro de 2006 | 21h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.