Naya ganha habeas corpus, mas continuará preso

Mesmo beneficiado por habeas corpus concedido hoje pela 5.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), o ex-deputado Sérgio Naya continua preso no Ponto Zero, carceragem especial da Polícia Civil, localizada em Benfica. O TJ informou que o habeas-corpus é referente a um processo por falsificação de documentos na 34.ª Vara Criminal e não resultou na libertação de Naya porque o ex-deputado tem contra si outros dois decretos de prisão, um emitido pela 9.ª Vara e Criminal e o outro também pela 34.ª Vara Criminal.O diretor da Polinter, responsável pelo Ponto Zero, delegado Rodolfo Waldeck, foi taxativo. ?Naya não vai sair porque há outros mandados contra ele.? O promotor Rodrigo Terra, que atua contra o ex-deputado, afirmou que os decretos de prisão ainda válidos são por crime de falsidade ideológica. Naya foi preso em março pela Polícia Federal no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, quando tentava embarcar para Montevidéu. O pedido de prisão preventiva, assinado pelo juiz Cairo Ítalo França David, da 34.ª Vara Criminal, era relativo à falsificação de documentos de venda de uma fazenda em Minas.O TJ não deu detalhes sobre a decisão da 5.ª Câmara Criminal. Informou apenas que o habeas-corpus foi concedido por doisvotos favoráveis a Naya e um contrário. A desembargadora Maria Helena Salcedo, relatora do caso, considerou que houveexcesso de prazo e seu voto foi acompanhado pelo desembargador Silvio Teixeira. O desembargador Sérgio Verani foi o voto vencido.A presidente da Associação de Vítimas do Palace II, Rauliete Barbosa Guedes, disse ontem estar ?indignada? e ?revoltada? com a decisão dos desembargadores. ?Há uma insegurança muito grande para quem depende da Justiça para fazer Justiça?, afirmou. ?Ele tem que responder como um cidadão comum e não ser tratado de modo diferente porque tem dinheiro.Queria que a Justiça funcionasse assim para os ladrões de galinha.? Rauliete lembrou que Naya foi detido quando tentava deixar o País e afirmou acreditar que, se fosse solto, o ex-deputado voltaria a tentar uma fuga. Naya é dono da Sersan, construtora do prédio Palace II, que desabou em 1998, matando oito pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.