Neblina interrompe operações no aeroporto de Curitiba

Problemas com a neblina, comuns durante o outono e o inverno, voltaram a prejudicar os vôos, na manhã desta quarta-feira, 28, no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), a pista ficou fechada para pouso durante por mais de 8 horas. Dos 64 vôos previstos para pouso e decolagem entre 6 horas e meio-dia, oito tiveram atraso acima de uma hora e 14 atrasaram entre 15 minutos e uma hora.Somente às 8h35, o aeroporto começou a operar por meio do ILS categoria 1, um auxílio-rádio para navegação, destinado a facilitar o pouso das aeronaves. Nas categorias de 1 a 3, o ILS leva em conta a visibilidade e proporciona ao piloto um guia lateral e vertical, além de indicações da distância do ponto de pouso.O 3 é para situações mais complicadas e não existe no Brasil. No Afonso Pena existe também o sistema ILS 2, que é acionado dependendo do teto de neblina, e o ALS 2, um sistema de luzes de aproximação, utilizado para melhorar a capacidade operacional e a segurança da aeronave.Na manhã desta quarta, o Afonso Pena operou com o ILS 1 por 20 minutos. Às 8h55 passou para os instrumentos menores. Somente às 9h05, o pouso passou a ser visual. Em razão disso, até o meio-dia houve 9 cancelamentos de vôos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.