Neblina obriga aeroportos de SP a operar por instrumentos

Esquema em Cumbica durou até 10h45; em Congonhas, das 7h40 às 12h10

Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

23 de junho de 2009 | 00h00

Uma forte neblina cobriu a Grande São Paulo ontem pela manhã. Os dois principais aeroportos paulistas operaram com o auxílio de instrumentos - quando o piloto precisa da ajuda de equipamentos para alinhar o avião na pista. O Aeroporto Internacional Governador Franco Montoro (Cumbica), em Guarulhos, operou por instrumentos até as 10h45. Durante esse tempo, dos 95 voos programados, 22 partiram com atrasos e 10 tiveram de ser cancelados. No Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital, as operações por instrumentos duraram das 7h40 às 12h10. Das 73 partidas inicialmente previstas, 27 sofreram atrasos e 13 foram canceladas. "É considerado nevoeiro quando a visibilidade fica restrita a uma distância inferior a mil metros. Ontem, em Guarulhos, o nevoeiro estava tão denso que a visibilidade ficou restrita a 50 metros", explica a meteorologista Fabiana Weykamp, da Climatempo. "Em alguns casos, o nevoeiro é tão intenso que a visibilidade chega a zero." A neblina - ou o termo técnico nevoeiro - é a formação de nuvens próximas da superfície. Esse fenômeno é bastante comum no inverno, que propicia três condições ideais: baixas temperaturas, umidade na atmosfera e ventos fracos. Durante o dia, o céu límpido favorece o aquecimento da atmosfera. A ausência de nuvens ainda permite a rápida queda de temperatura durante a noite e, principalmente, durante a madrugada. Esse ar resfriado provoca condensação, isto é, o vapor d?água se transforma em gotículas de água, responsáveis pela formação da nuvem. A formação de nevoeiros é influenciada pelas condições do relevo. Regiões de baixadas, como o Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e mesmo em Guarulhos, são propícias à formação de nevoeiros mais intensos, que ocorrem no começo da manhã. "Em Guarulhos, o nevoeiro se formou por volta das 5 horas, quando a temperatura atingiu 10° C, seu registro mais baixo. Já em Congonhas, apenas uma névoa se formou, com menor intensidade e mais tarde, por volta das 8 horas", compara a meteorologista. RIOO denso nevoeiro também atingiu os aeroportos cariocas. O Santos Dumont permaneceu fechado das 6h45 às 9h10. O Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão) não fechou, mas operou por instrumentos das 7h40 às 10h20. Dos 22 voos programados, 13 sofreram atrasos. NÚMEROS50 metros é o limite de visibilidade a que ficou restrita a operação do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na manhã de ontem. Em alguns casos, visibilidade já chegou a zero10°C foi a temperatura em Guarulhos por volta das 5 horas, a menor registrada no dia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.