Negada transferência a ladrão do Banco Central

A Justiça negou ontem transferência a um dos ladrões envolvidos no furto milionário do Banco Central de Fortaleza, ocorrido em agosto de 2005. Davi Silvano da Silva seguirá no presídio de segurança máxima em Campo Grande (MS), onde cumpre pena de 16 anos e meio. Acusado de ter ligação com o PCC, Silva queria voltar para um presídio em Fortaleza no qual esteve preso e de onde tentou fugir. Ele é portador de HIV e alegou querer ficar perto da família, pois é casado e tem duas filhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.