Negados habeas corpus para PMs envolvidos no caso Rafael Mascarenhas

Filho de Cissa Guimarães morreu após ser atropelado em túnel fechado no Rio; policiais cobraram R$ 10 mil para liberar acusado de atropelamento

Julia Baptista, Central de Notícias

11 Novembro 2010 | 16h50

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou nesta quarta-feira, 11, três pedidos de habeas corpus para os dois policiais militares envolvidos no caso Rafael Mascarenhas. Segundo o TJ, havia dois pedidos a favor do cabo da Polícia Militar (PM) Marcelo Bigon e um a favor do o sargento Marcelo Leal de Souza Martin.

 

Eles são acusados de cobrar R$ 10 mil para liberar o motorista Rafael Bussamra, que atropelou o músico Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, no dia 20 de julho, no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. Eles foram expulsos da corporação em 5 de outubro. Rafael foi levado para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.