Negociação com presos rebelados em GO só amanhã

As negociações com os 286 presos do Bloco Um da Casa de Detenção Provisória, em Aparecida de Goiânia (GO), que estão rebelados desde o início da tarde, prosseguem amanhã. Eles aproveitaram o dia de visitas e fizeram quase 300 reféns - sendo dois agentes penitenciários e 245 familiares adultos mais uma quantidade não informada de crianças. A rebelião teria ocorrido porque a direção do presídio decidiu cortar regalias dos detentos, como o uso de telefone celular, e reduzir o período do horário de visitas. De acordo com o assessor de comunicação da polícia militar, major Carlos Antonio Elias, o clima do início da rebelião foi tenso, mas agora está mais calmo. O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) foi colocado de prontidão porque um dos agentes penitenciários estaria muito ferido. O secretário de Segurança Pública de Goiás, Demóstenes Xavier Torres, foi ao local da rebelião para negociar a libertação dos reféns, mas não houve acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.