Negociação com rebelados em Valparaíso será retomada nesta manhã

Serão retomadas após às 6h30 da manhã desta quinta-feira as negociações com os 1.160 presos rebelados desde as 11 horas de quarta-feira na Penitenciária da cidade de Valparaíso, localizada no quilômetro 2 da Estrada Municipal Bento de Abreu - Valparaíso, a 570 quilômetros da capital paulista. A penitenciária, que tem capacidade para 792 homens, abriga atualmente 1.161 detentos.Policiais militares da Tropa de Choque deixaram a entrada principal da penitenciária às 20h30 e retornam para o complexo prisional no amanhecer de hoje. Homens do 2º Pelotão do 2º Batalhão de Policiamento Militar do Interior cercam a penitenciária, que teve boa parte das dependências internas destruída pelos amotinados. Eles mantêm 22 agentes reféns. O que dificulta as negociações é o fato de que os presos não têm uma reivindicação clara, mas acredita-se que a superlotação tenha motivado a rebelião. O motim começou após 4 detentos do pavilhão 2, armados, aproveitarem um encontro com a direção do presídio para fazer 29 agentes reféns. Com as chaves das celas, eles soltaram os companheiros dos outros pavilhões. Por volta das 16 horas, um dos reféns foi solto em troca do atendimento médico de um dos detentos. Duas horas e meia depois, os rebelados liberaram mais 6 reféns em troca do fornecimento do gás, que assim como de água e energia elétrica, foi suspenso quando o motim teve início.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.