Negociação continua em Blumenau

Os 105 rebelados do Presídio Regional de Blumenau, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, continuam em negociação com odiretor de Administração Penal do Estado, Sérgio Luiz de Oliveira, e o promotor público Anselmo de Oliveira. A rebelião começou às 18h30 da Sexta-feira Santa e envolveu mais de 60 policiais. Os presos ainda mantêm dois carcereiros como reféns, Edgar Prochnow e Igino Vendrame, ex-bombeiros aposentados.No início da rebelião, os presos prenderam os dois carcereiros com uma corda no pescoço e ameaçavam matá-los enforcados, caso os bombeiros entrassem para apagar o fogo que havia sido ateado em colchões, camas e cobertores, na entrada do pátio interno. O clima ficou ainda mais tenso coma entrada do grupo de Apoio Tático da PM com escudos, gás lacrimogêneo e armas.As negociações começaram às 7h45 de ontem. A rebelião foi motivada pela transferência de cinco presos, que lideravam o movimento, para uma ala de isolamento do presídio. Parte dos rebelados serão encaminhados para outro local, já que o prédio - com capacidade para abrigar 90 presos, mas quemantinha 151 - está parcialmente destruído.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.