NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Satisfação com a polícia é menor entre negros, pardos e indígenas

Pesquisa da FGV mostra que, enquanto 31% dos brancos estão insatisfeitos com a polícia, entre os negros o número sobe para 38%

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2015 | 09h30

A satisfação dos brasileiros com o trabalho da polícia é menor entre negros, pardos e indígenas. Esse grupo também tem menor confiança no Poder Judiciário que os brancos. Dados do Índice de Confiança na Justiça (ICJBrasil), produzido pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostra que, enquanto 66% dos brancos disseram estão “muito satisfeitos ou um pouco satisfeitos” com a polícia, entre os não-brancos apenas 62% respondem o mesmo. Dos que disseram estar “um pouco insatisfeitos ou muito insatisfeitos”, 38% são não-brancos e 31%, brancos.

"A pesquisa mostra que existe um acesso diferenciado aos serviços. A população negra, parda e mais pobre que convive mais com a polícia e mesmo assim não tem confiança na instituição", disse Luciana Gross Cunha, coordenadora do estudo.

A pesquisa mostrou ainda que, entre os brancos, 34% dos entrevistados disseram acreditar que o Judiciário brasileiro é “muito confiável ou confiável”. Entre os não brancos, 28% têm confiança na Justiça. "Os dados nos mostram que as populações negras e pardas são tratadas de forma diferente pelas instituições. A diferença começa no tratamento dado pela polícia e é aprofundado pelo judiciário, que, ao invés de reparar o erro, só o repete", disse Luciana.

Para o pesquisador da FGV Renato Sérgio de Lima, os resultados da pesquisa, que mostram a diferença de percepção entre as populações branca e negra, são reflexo de um cenário de discriminação racial. "A população negra vive uma insegurança. Outras pesquisas comprovam isso, por exemplo, eles têm 2,5 vezes mais chances de serem assassinados, 18% mais chances de serem presos. O tratamento diferenciado que recebem é visto e o resultado é uma confiança e satisfação menor com a polícia e a Justiça".

A pesquisa ouviu, durante o ano de 2014, 6.623 pessoas nos estados do Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal. Os dados vão integrar a 9ª Edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que será divulgado nessa semana.


Mais conteúdo sobre:
políciajudiciáriosegurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.