Nenhum contato dos seqüestradores; FHC acompanha

Os sequestradores do prefeito de Santo André, Celso Daniel, não fizeram nenhum contato com lideranças do partido nem com os familiares, até as 10h30 da manhã deste domingo, quando já se chegava a 36 horas do desaparecimento do prefeito. Ele foi levado por desconhecidos na sexta-feira às 23h30, quando saía de um restaurante na Zona Sul da capital paulista. O prefeito, que estava acompanhado do amigo Sérgio Gomes da Silva numa Pajero blindada, foi abordado por oito homem fortemente armados. Eleito prefeito de Santo André pela terceira vez, Celso Daniel há cerca de um mês havia sicdo nomeado coordenador do programa do governo do PT à Presidência da República. Celso tinha agendado para ontem um encontro com lideranças do partido para discutir a candidatura de Lula. O presidente da Câmara Municipal de Santo André, Carlos Augusto, está preparando um ato pela paz e pela vida, que deverá ocorrer às 16 horas no pátio da Câmara. "Queremos o Celso vivo", pede. Cerca de cem pessoas, entre moradores e jornalistas, estavam reunidos no pátio da Câmara por volta das 10h da manhã deste domingo. Lideranças do PT se reuniram em Santo André até a madrugada de hoje. A Polícia Militar de São Paulo mobilizou desde ontem homens de toda a zona sul da capital para encontrar o prefeito de Santo André. O ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, colocou o efetivo da Policia Federal de São Paulo à disposição do Estado. Os familiares do prefeito autorizaram a divulgação de informações sobre o sequestro.O presidente A assessoria da Presidência da República informou esta manhã que o presidente Fernando Henrique Cardoso permanecerá em Brasília, acompanhando, no Palácio da Alvorada, as providências para solucionar o seqüestro do prefeito Celso Daniel. Ontem, o presidente determinou ao ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, que acionasse a Polícia Federal para atuar nas investigações. De acordo com a Agência Brasil, FHC não têm compromissos oficiais previstos para hoje. O governadorO governador Geraldo Alckmin cancelou os dois compromissos que sua agenda previa para a manhã deste domingo e decidiu permanecer no Palácio dos Bandeirantes para acompanhar os desdobramentos do seqüestro do prefeito Celso Daniel. Segundo a assessoria do governador, ele concederá entrevista coletiva às 13 horas. Por volta das 10h30, Alckmin estava reunido com o secretário da Segurança Pública, Marco Vinicio Petrelluzzi, e com o presidente da Febem, Saulo de Castrlho Filho, que deverá assumir o cargo no próximo dia 22. A assessoria não confirmou se o governador deverá se reunir também com o ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, que está em São Paulo acompanhando as investigações sobre o seqüestro. O ministro não participou da reunião de quase três horas que o governador teve ontem à noite com prefeitos do Partido dos Trabalhadores (PT) para discutir a escalada da violência do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.