Nervoso, Suplicy diz que seqüestro é político

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) chegou, visivelmente nervoso, à Câmara Municipal de Santo André, onde representantes do partido se reuniram, neste sábado pela manhã, em solidariedade ao prefeito de Santo André, Celso Daniel, seqüestrado nesta sexta-feira à noite.Suplicy não descartou a hipótese de crime político. "Diversos companheiros do PT têm sido objeto de tentativas, e isso nos preocupa", disse.Indignado, o deputado federal José Genoíno (PT-SP) afirmou que as autoridades já foram procuradas: ?Quando membros do partido começaram a receber ameaças, procuramos o Ministro da Justiça e os governadores e levamos as cartas ao conhecimento de todos. Solicitamos investigações".Indagado sobre as investigações, respondeu irritado: "Eu não acho nada sobre isso. Quem é pago para achar coisas é a polícia.?Ele atribuiu à impunidade o assassinato do prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos, assassinado há quatro meses, e o seqüestro do prefeito de Santo André, Celso Daniel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.