Neta de ex-banqueiro é libertada após 55 dias de sequestro

A estudante Maria Beatriz Rigue Conde, 17 anos, foi libertada neste sábado após ficar 55 dias em poder de seqüestradores. Neta de Pedro Conde, ex-proprietário do banco BCN, ela havia sido seqüestrada na madrugada de 24 de outubro, em Perdizes, zona oeste de São Paulo. Ela passa bem e deve depor entre terça e quinta-feira. Nenhum dos seqüestradores foi preso. A Delegacia Anti-Seqüestro (DAS) não informou se a família pagou o resgate.Na madrugada do seqüestro, Maria Beatriz voltava para casa de uma festa às 5h quando o motorista do carro em que estava foi obrigado a parar por dois homens em um carro que parecia ser da Polícia Civil. Os bandidos mandaram que ele descesse e passaram a revistá-lo. Enquanto isso, a jovem foi retirada do veículo e levada para outro, que estava parado um pouco mais atrás.Antes de partir, os seqüestradores deixaram no carro uma carta com cinco páginas digitadas em computador. Nela informavam que se tratava de um seqüestro e exigiam R$ 2,5 milhões de resgate. Também diziam que ?era preciso negociar? e a família não deveria chamar a polícia, pois ?confiança é tudo? nessas situações.No ano passado, dois primos de Maria Beatriz foram seqüestrados em São Paulo. Seus pais não notificaram o caso à polícia e pagaram cerca de R$ 50 mil de resgate. Os policiais acreditam que o bando responsável pelo crime de 2003 seja o mesmo que atacou agora, pois eles sabiam do parentesco.

Agencia Estado,

18 de dezembro de 2004 | 23h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.