Netinho já dava como certa eleição ao lado de Marta

Antes da abertura das urnas, cantor atenuou sinais do avanço de Aloysio Nunes nas pesquisas

Fernanda Yoneya e Renato Machado, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2010 | 00h00

Netinho de Paula (PC do B) estava confiante quando votou no início da tarde em Campo Limpo, na zona sul da capital. Embora tenha dito que era preciso esperar a apuração, em determinados momentos o candidato chegou a falar como se tivesse vencido as eleições e minimizou o crescimento de seu rival tucano nas últimas pesquisas.

"Não vi chegada nenhuma. Tenho acompanhado as pesquisas e, pelo que eu acompanho, estou numa posição muito estável", disse o candidato que chegou para votar com Aloizio Mercadante (PT). Um grande tumulto se formou no prédio, com fãs em busca de fotos e tentando abraçá-lo.

Netinho chegou a sugerir que poderia não completar o mandato para se candidatar a outro cargo. "Quero tentar cumprir o meu mandato. Sair, deixar de cumprir meu mandato, quem vai optar por isso não sou eu; é a sociedade. Se a sociedade achar que eu possa ser candidato a outra coisa nesse ínterim, assim eu farei", disse ainda pela manhã, quando acompanhou o voto de Mercadante.

Pouco antes, Netinho esteve com Lula em São Bernardo do Campo. O cantor e apresentador também disse que interromperia sua carreira artística para investir na vida pública.

Marta Suplicy (PT) também atacou os levantamentos que indicavam Aloysio Nunes (PSDB) em primeiro. "Algumas pesquisas deram a disputa como embolada, mas não acreditei. Acredito que Netinho e eu seremos os primeiros", disse após votar no Jardim Paulistano.

"Vai ser uma votação um pouquinho mais distante do que a pesquisa tem mostrado. Espero uma votação tranquila e acredito que nós dois vamos ser eleitos", completou a candidata do PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.