Neudo pega 16 anos de prisão por ''gafanhotos''

A Justiça Federal condenou o ex-governador de Roraima Neudo Campos (PP) a 16 anos de prisão por crimes de peculato-desvio "em continuidade delitiva" e formação de quadrilha. Neudo é apontado pela Procuradoria da República como mentor e operador do esquema "gafanhotos" - suposto desvio de R$ 70 milhões dos cofres públicos por meio da inclusão na folha salarial de servidores fantasmas. A sentença é do juiz Helder Girão Barreto, da 1.ª Vara Federal em Porto Velho.

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2011 | 00h00

É a segunda condenação imposta ao ex-governador nos últimos três meses. Em abril, a Justiça já havia aplicado pena também de 16 anos a Neudo em outra ação relativa ao mesmo golpe dos gafanhotos. Neudo foi governador duas vezes (1994-2002). Ele poderá apelar em liberdade.

O juiz se convenceu de que "no exercício do cargo de governador, e abusando dos poderes que detinha, (Neudo) instituiu quadrilha para crimes contra a administração pública". A procuradoria sustenta que por ordem de Neudo recursos de convênios federais eram transferidos para a conta destinada ao pagamento de servidores públicos, inclusive gafanhotos, para posterior distribuição a afilhados políticos.

"É uma condenação absolutamente injusta, eu não roubei", reagiu Neudo. "O incrível é que esse juiz (Barreto) é meu inimigo. Ele me persegue desde que era juiz estadual. Vou recorrer até o fim. Nas últimas eleições para governador ganhei em primeiro turno, mas no segundo gastaram caminhões de dinheiro para me vencer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.