Neurocirurgia de Luciana foi bem-sucedida, informam médicos

Apreensão e esperança marcaram esta quinta-feira para a família da estudante Luciana Gonçalves de Novaes, de 19 anos, baleada na segunda-feira, no campus da Universidade Estácio de Sá, no Rio Comprido, zona norte do Rio de Janeiro. Por volta de 10 horas, ela começou a ser operada, numa cirurgia que durou oito horas.Segundo o hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, na zona sul, a jovem recebeu duas placas metálicas para dar mais sustentação à coluna, e os médicos retiraram a bala alojada na medula óssea. A equipe médica ainda não informou se a jovem voltará a andar. O boletim médico divulgado no início da noite informou que a neurocirugia foi realizada ?com sucesso?.Luciana permanece no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) e só uma avaliação posterior definirá seu estado. Uma equipe de pelo menos seis médicos acompanhou a estudante, que, desde segunda-feira, estava em coma induzido e respirava por aparelhos.Até o fim da tarde desta quinta-feira, nenhum dos seis suspeitos identificados pela polícia como participantes da ação contra o campus da Estácio de Sá havia sido encontrado. Segundo o disque-denúncia, já foram registradas 67 chamadas informando o possível paradeiro dos bandidos.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.