Nhá Chica entra em lista restrita de beatos brasileiros reconhecidos pela Igreja Católica

Mineira será beatificada na tarde deste sábado, dia 4, em Baependi, no sul de Minas

José Maria Mayrink, O Estado de S. Paulo

04 Maio 2013 | 00h09

BAEPENDI (MG) - A mineira Francisca de Paula de Jesus ou Nhá Chica, que será beatificada na tarde deste sábado, dia 4, em Baependi, sul de Minas, entra numa lista ainda restrita de apenas 5 santos e 80 beatos brasileiros reconhecidos pela Igreja Católica. Desse total, 37 nasceram no País e 48 são estrangeiros que viveram aqui. Cerca de 60 outros candidatos estão em processo de beatificação e canonização, com boa chance de merecer em breve a veneração dos fiéis nos altares. O único brasileiro nato canonizado é Frei Antônio de Sant’ Anna Galvão, paulista de Guaratinguetá, proclamado santo por Bento XVI no Campo de Marte, em 2007.

 

O processo de beatificação de Nhá Chica correu relativamente rápido. Começou em janeiro de 1992, dois anos após o então bispo de Campanha (MG), d. Aloísio Oppermann haver submetido a causa à apreciação  do episcopado brasileiro. Desde 1952 vinha sendo feita uma campanha popular para que Nhá Chica fosse considerada santa.

 

Em janeiro de 2011, Bento XVI aprovou o decreto da Congregação para as Causas dos Santos sobre  as virtudes heroicas e ela recebeu o título de venerável. Em outubro do mesmo ano, foi reconhecida como milagre para a beatificação a cura da professora Ana Lúcia Meirelles Leite, que tinha um defeito congênito no coração. Marcada para 11 de maio, a cerimônia foi antecipada para este sábado.

 

Abençoada.Aos 67 anos, a professora beneficiada pelo milagre obtido pela nova beata mora na cidade de Caxambu, a seis quilômetros de Baependi, onde será realizada a cerimônia.

 

“Vou levar até o altar e entregar ao cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, a relíquia, um pedacinho de osso de Nhá Chica, que será levada para o Vaticano”, disse Ana Lúcia. Ela foi vítima de isquemia cerebral em 18 de junho de 1995, quando estava passando um pano no chão da casa e, de repente, ficou cega.

 

Foi tateando para o quarto, deitou-se na cama e mandou chamar o marido. Quando conseguiu se levantar, percebeu que estava enxergando e logo atribuiu a melhora a Nhá Chica, a quem tinha recorrido. Nhá Chica era, fazia tempo, a santa de sua devoção, bem antes de se falar em beatificação. A história de Ana Lúcia é contada na edição impressa de sábado do

 

Estado

 

- Santos e beatos brasileiros:

 

Santos

 

Frei Antônio de Sant’Anna Galvão (Frei Galvão) - 2007

 

Beatos

 

André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro e 28 companheiros mártires assassinados em 1645 pelos holandeses no Rio Grande do Norte -2000

Albertina Berkenbrock - 2007

Manoel Gomes Gonzales e Adílio Daronch - 2007

Lindalva Justo de Oliveira - 2007

Dulce Lopes Pontes (Irmã Dulce) - 2011

Nhá Chica - 2013

Mais conteúdo sobre:
Nhá Chica beatificação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.