Nicéa Pitta condenada a 6 meses por difamação

A ex-primeira dama paulistana Nicéa Camargo Pitta do Nascimento foi condenada pelo Tribunal de Alçada Criminal, em acórdão publicado nesta sexta-feira, a seis meses de detenção em regime aberto, sendo a pena substituída por pagamento de multa. Ela é acusada de difamação e calúnia contra o empresário Jorge Yunes. No dia 9 de abril de 2000, num programa de televisão, Nicéa acusou Yunes da autoria de duas cartas anônimas, com ameaças de morte, que recebera. Em primeira instância Nicéa havia sido absolvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.