Nicéia é condenada a indenizar Yunes

A ex-primeira dama paulistana Nicéia Camargo Pitta do Nascimento foi condenada a pagar indenização de R$ 1.500,00, com juros e correção, ao empresário Jorge Yunes por danos morais. O juiz Luiz Eurico da Costa Ferrari, da 3ª Vara Cível de São Paulo, considerou que Nicéia ofendeu a "honra subjetiva" de Yunes, quando o acusou de ser o autor de cartas anônimas ameaçadoras que recebeu, além de provocar abertura de inquérito policial contra o empresário, arquivado por falta de provas. Nicéia alegou que, após denunciar ao Ministério Público corrupção na administração municipal, na gestão do prefeito Celso Pitta, seu ex-marido passou a ser ameaçado de morte por telefone e por cartas. Receando por sua vida e de seus filhos, ela resolveu revelar o caso, pois uma série de circunstâncias levou-a convicção de que as ameaças partiam de Yunes. O juiz disse que Yunes teve violado seus direitos constitucionais à intimidade, vida privada, honra e imagem. Nicéia vai apelar ao Tribunal de Justiça. Yunes, que pedia uma indenização de R$ 489 mil, disse que também pretende recorrer para pedir o aumento da indenização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.