'Ninguém é eleito para fazer sucessor', diz Britto

BRASÍLIA

Mariângela Gallucci, O Estadao de S.Paulo

17 de março de 2010 | 00h00

Durante julgamento de reclamação da oposição, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Carlos Ayres Britto, disse ontem que o presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff fizeram propaganda eleitoral antecipada, o que é irregular. Ele foi enfático. Disse que no Brasil os governantes costumam confundir projeto de governo, que "é legítimo", com projeto de poder, que classificou de "antirrepublicano". "Ninguém é eleito para fazer o sucessor. Quem se empenha em fazer seu sucessor, de ordinário, pensa em se tornar ele mesmo o sucessor de seu sucessor."

No julgamento de ontem, Ayres Britto defendeu de R$ 5 mil para Lula e Dilma por propaganda eleitoral antecipada durante discurso em Araçuaí (MG), em janeiro. Empatado em 3 a 3, o julgamento foi interrompido por pedido de vista do ministro Marcelo Ribeiro, que será o último a votar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.