Nível do Cantareira sobe. Mas racionamento não está descartado

O nível do Sistema Cantareira chegou a 11,7% nesta quarta-feira. Na sexta passada, ele era de 6,6%. Mas o índice ainda é alarmante e muito distante do ideal para afastar a hipótese de racionamento em março. "A situação é preocupante. Não dá para deixar de estar em alerta", disse o gerente do Departamento de Controle e Abastecimento da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Amauri Pollachi.A empresa espera que, até o fim do mês, o reservatório chegue a 15% da capacidade. A expectativa para o fim do período de chuvas é atingir 30%. Mesmo assim, o racionamento não está descartado. Há cerca de uma semana, a probabilidade de rodízio era de 95%. O nível subiu graças à intensidade das chuvas nos últimos quatro dias. No Cantareira choveu 109 milímetros. Até esta quarta, o volume acumulado era de 241 mm. A média histórica de fevereiro é de 209 mm.Estado de emergência em Campos do JordãoA chuva contínua dos últimos dias colocou Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, em estado de emergência. De segunda até a tarde desta quarta, havia chovido 113,1 milímetros. Cinqüenta e seis ocorrências de deslizamentos e desmoronamentos foram registradas. No Bairro Monte Carlo, um barraco desabou na noite de segunda-feira e cinco pessoas foram soterradas, entre elas, quatro crianças. A família foi socorrida e passa bem. Seis famílias tiveram de ser retiradas de suas casas e foram removidas para o alojamento da prefeitura. Cerca de 5 mil pessoas moram em áreas consideradas de risco.Fim de semana será de sol com chuvas à tardeTanta chuva, que atingiu praticamente todo o Estado nos últimos dias, é causada pela zona de convergência do Atlântico Sul, chamada "zaca". Típica do verão, ela ocorre quando uma frente fria fica parada durante vários dias, recebendo muita umidade da região amazônica, que intensifica a instabilidade, explicou o meteorologista da Climatempo, André Madeira. Com a entrada de uma massa de ar seco pelo oeste paulista, o sol volta a predominar e a chuva pára nessa região. Na sexta-feira, o tempo segue ensolarado no oeste e o ar seco empurra cada vez mais as nuvens para fora do Estado. No fim de semana, o sol volta a predominar sobre todas as regiões e o aquecimento provoca chuvas de verão ao entardecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.