Agência Brasil/Divulgação
Agência Brasil/Divulgação

Nível do Rio Negro chega a recorde de quase 30 metros

Cheia afeta pelo menos 75 mil famílias em todo o Estado do Amazonas; nível ainda pode aumentar

Agência Brasil

16 Maio 2012 | 11h14

MANAUS - O Rio Negro alcançou nesta quarta-feira, 16, o nível de 29,79 metros, o maior já registrado na história. A medição está dois centímetros acima da verificada na cheia de 2009, até então considerada a mais intensa.

 

Ao todo, 49 dos 62 municípios do Amazonas estão em situação de emergência. Pelo menos 75 mil famílias já foram afetadas pelas inundações em todo o Estado. "A situação é catastrófica. Quando chove é esse corre-corre danado. É um vexame, todo mundo se apavorando", diz Maria das Graças, moradora do bairro São Jorge, na periferia de Manaus.

 

Segundo dados da prefeitura, mais de 18 mil pessoas foram afetadas em 11 bairros da capital amazonense: São Raimundo, Presidente Vargas (Matinha e Bariti), Glória, São Geraldo, São Jorge, Aparecida, Educandos, Betânia, Raiz, Morro da Liberdade e centro.

 

"Cada vez que chove aumenta a água. E não é normal, apesar de morarmos em uma área que alaga. Mas a gente não esperava que fosse ficar desse jeito ", disse Lorraine Gabriele, moradora do Bariri.

 

As águas chegam aos bairros por meio dos córregos e igarapés, espalhados por Manaus. Junto com a água, há muito lixo e esgoto, o que prejudica principalmente as crianças, que reclamam de dor de cabeça, vômito e diarreia. A prefeitura e a Defesa Civil têm promovido ações como a retirada de lixo dos igarapés, a construção de passarelas e a distribuição de água potável e cestas básicas.

 

Segundo o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a situação pode ainda piorar, já que a estimativa é que o nível do Rio Negro ultrapasse os 30 metros. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.