Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

No 1º dia do Mais Médicos, profissionais são recebidos com festa em Fortaleza

Participantes brasileiros do programa atuarão na área mais violenta da cidade

Lauriberto Braga, Lígia Formenti e Rodolpho Paixão, O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2013 | 12h13

Atualizado às 15h28.

Os 26 médicos brasileiros selecionados pelo programa Mais Médicos para Fortaleza estão sendo acolhidos com uma festa na Palhoça do Movimento de Saúde Mental Comunitária, no bairro Bom Jardim, área mais violenta da cidade. Os médicos serão alocados em postos de saúde do Grande Bom Jardim. Os participantes brasileiros do programa chegam hoje a 454 cidades do Brasil.

O Estado do Rio está recebendo 60 profissionais do Mais Médicos para trabalhar em 13 municípios. Hoje, foi apresentado um deles, Rafael Dutra, de 27 anos, que vai ficar lotado na Clínica da Família Nilo Aguiar, em Realengo, zona oeste do Rio, e integrar uma das seis equipes que assistem comunidades carentes do entorno. Ele foi bem recebido pelos colegas, que agora trabalharão menos fins de semana e terão mais tempo para o almoço. Dutra, que tem dois anos de carreira e é bem mais novo que os colegas, começa a trabalhar nesta terça - hoje, resolveu questões burocráticas.

A acolhida festiva em Fortaleza começou com um café da manhã com música ao vivo e dinâmica de grupo. O secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, participou do evento e destacou que o Mais Médicos continua com inscrições abertas. A programação deve ser finalizada com uma reunião sobre a organização do sistema de saúde com foco na atenção primária conduzida pela Coordenadoria de Políticas e Organização das Redes de Atenção à Saúde (Copas).

Para o coordenador de Atenção Primária de Fortaleza, Rômulo Fernandes, "o Programa Mais Médicos oferece mais uma oportunidade dos municípios suprirem a carência de médicos na Atenção Primária, tão importante para o atendimento dos usuários do serviço público de saúde". O Ceará recebe 106 médicos brasileiros inscritos no programa, o maior contingente entre os Estados.

Os médicos brasileiros que participam do programa chegam hoje a 454 cidades do Brasil. Apenas 13% dos municípios que se inscreveram no Mais Médicos terão sua demanda atendida por profissionais. Cerca de 3.500 cidades requisitaram 15.460 profissionais para trabalhar no atendimento de saúde local na primeira fase do programa. A resposta ao convite foi pequena: 1.096 médicos brasileiros e outros 282 estrangeiros. Há ainda 4 mil cubanos, recrutados por meio de um acordo firmado entre o governo brasileiro e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Desse convênio, 400 já desembarcaram no País. Os demais são esperados até dezembro.

Na sexta-feira, uma nova etapa de inscrições, tanto de médicos quanto de cidades interessadas em participar do programa, foi concluída. Um novo balanço deve ser divulgado hoje. A ideia é fazer chamamentos mensais até que a demanda seja totalmente atendida.

Espírito Santo. No Espírito Santo são esperados 64 profissionais que devem atuar em 7 dos 78 municípios do Estado a partir desta segunda-feira. De todas as cidades selecionadas para receber novos médicos, Serra, na região metropolitana de Vitória, é que deve ter a maior adesão, com 20 profissionais esperados.

Mais conteúdo sobre:
Mais Médicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.