No 2º turno, Serra conseguiu virar em apenas 3 Estados

Tucano reverteu votação em GO, ES e RS, mas distância de Dilma no resultado final caiu só 2,2 pontos porcentuais

Wilson Tosta / RIO, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2010 | 00h00

Apenas no Espírito Santo, em Goiás e no Rio Grande do Sul, o presidenciável do PSDB, José Serra, conseguiu inverter, no último domingo, seu desempenho eleitoral em relação à presidente Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno, ultrapassando-a, ainda assim, por diferenças modestas.

Nas demais unidades da Federação, os candidatos mantiveram no segundo turno as posições que ocupavam em relação ao outro em 3 de outubro. Como ambos conseguiram ampliar, em porcentuais semelhantes, suas vantagens nos Estados, a distância na votação nacional ficou parecida: caiu de14,3 para 12,1 pontos porcentuais entre os dois turnos.

Em 3 de outubro, Dilma teve 46,91% dos votos válidos e Serra, 32,61% - uma diferença de 14.519.151 votos de vantagem para a petista. No dia 31, o placar da vitória governista sobre os tucanos foi 56,05% a 43,95%, uma frente de 12.041.141 votos. Dessa forma, o ganho líquido de Serra no período foi de apenas 2.478.010 votos. A redução da distância que separou os dois candidatos foi de 2,2 pontos porcentuais.

Dos Estados em que Serra "virou" a eleição, o Rio Grande do Sul tem o maior eleitorado estadual - o quinto do País, atrás de São Paulo, Minas, Rio e Bahia. No primeiro turno, Dilma teve 49,95% da votação dos gaúchos, e Serra, 40,59%. No dia 31, a petista diminuiu sua votação para 46,09% - embora, em votos absolutos, tenha conquistado 110.498 votos a mais. Serra, que conseguiu o apoio do PMDB e do PP no Estado, passou de 2.600.389 para 3.237.207 (crescimento de 636.818).

No Espírito Santo e em Goiás, os candidatos terminaram as votações mais próximos um do outro. Entre os capixabas, Dilma obteve 37,25% no primeiro turno, e Serra, 35,44% - 1,81ponto porcentual a mais para a petista. Na segunda rodada, o tucano obteve 50,83% da votação, contra 49,17% da presidente eleita - 1,66% de vantagem pró-PSDB. Situação semelhante a de Goiás, onde Dilma venceu Serra, em 3 de outubro, por 42,23% a 39,48% (2,75 pontos à frente). No domingo, foram 51.1% contra 48,89% do tucano - diferença de 2,21 pontos.

Norte e Nordeste. Entre os 16 Estados em que Dilma venceu no segundo turno, seu melhor resultado foi no Amazonas: 80,93% contra 19,43% de Serra. Já na primeira etapa a diferença pró-PT fora grande: 64,98% a 8,47%. O segundo melhor resultado dos petistas no segundo turno foi no Maranhão: 79,09% a 20,91%. O único Estado em que Dilma teve mais de 60% e que não fica no Norte ou Nordeste foi o Rio, onde o placar foi 60,48% a 39,52%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.