No Acre, o melhor desempenho

Na cidade de Porto Acre, administrada pelo PT, Serra conquistou 81% dos votos no domingo

Nayanne Santana ESPECIAL PARA O ESTADO RIO BRANCO, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2010 | 00h00

No município de Porto Acre, o tucano José Serra alcançou o maior número de votos, porcentualmente, na disputa pela Presidência. Lá, o candidato conquistou 81% dos votos, enquanto Dilma Rousseff teve apenas 19%. A cidade é administrada pelo prefeito Zé Maria (PT).

Foi também no Acre o segundo pior desempenho eleitoral da presidente eleita. Em Capixaba, administrada por Joais Souza (PT), a petista alcançou 20% dos votos.

O único município que deu vitória a Dilma no Estado é governado por um tucano, Raimundo Ferreira. Em Feijó, a petista conquistou 57% dos votos.

A cidade de Porto Acre fica a 57 quilômetros da capital Rio Branco e tem aproximadamente 14.680 habitantes, de acordo com dados do IBGE.

História. A maior parte da população vive na zona rural - só pouco mais de 1.840 habitantes vivem na área urbana da cidade que até 1993 era parte do município de Rio Branco.

Puerto Alonso, seu antigo nome, pertenceu ao território boliviano e faz parte da história da Revolução Acreana.

Durante esse período, a cidade foi palco de batalhas entre brasileiros e bolivianos Em meados de 1899, época em que o espanhol Luiz Galvez proclamou a república do Acre, Puerto Alonso chegou a ser a capital.

Atualmente o maior destaque que a cidade de Porto Acre tem é a Vila do V, que fica na zona rural da região.

A vila destaca-se por ter sua economia baseada na agropecuária e há a possibilidade de se tornar município, sendo, assim, desligada de Porto Acre. Caso isso aconteça, a arrecadação municipal será reduzida, representando uma perda considerável aos cofres da cidade.

Desempenho. Foi no Acre que José Serra obteve seu melhor desempenho nas urnas no segundo turno. O tucano somou 222.766 votos, ou 69,67%, ante 96.969 (30,33%%) de Dilma.

Além do Acre, Serra venceu a petista em Roraima, Rondônia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.