No debate ao qual não foi, Lula vira alvo de adversários

O presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ausente no último debate transmitido pela TV Globo, na noite desta quinta-feira, 28, foi eleito o alvo central dos outros três candidatos que compareceram ao evento. Geraldo Alckmin (PSDB), Heloísa Helena (PSOL) e Cristovam Buarque (PDT) utilizaram o debate para atacar Lula e tentar tirar pontos do petista, apontado como franco favorito nas últimas pesquisas de intenção de voto.O primeiro tema sorteado para o debate foi sobre impostos. O candidato Cristovam Buarque começou perguntando se o presidente renunciaria, caso ficassem comprovadas as suspeitas de uso de recursos públicos e "outros recursos de que não sabe a origem" nos recentes escândalos de corrupção. De acordo com as regras do debate, perguntas para o candidato ausente poderiam ser feitas.Como Lula estava ausente, o candidato do PDT dirigiu outra pergunta a Alckmin. O tucano começou criticando o governo Lula e citou o caso dos sanguessugas ao falar que o desperdício e a corrupção contribuem para a ineficiência do Estado. "Governo gasta muito e gasta mal. É priorizar educação, saúde e segurança", afirmou.A candidata do PSOL, Heloísa Helena, foi quem bateu mais pesado em Lula. No início de suas declarações, Heloísa Helena repudiou a ausência do presidente Lula. "Ele tinha obrigação de descer do seu trono da corrupção para responder ao povo brasileiro. Ele não tem autoridade moral para me enfrentar neste debate", disse.O debate teria ocorrido em clima de total amizade, não fosse justamente a senadora do PSOL ter mirado suas críticas também no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). "O PSDB e o PT têm obrigação de reconhecer a irresponsabilidade de 12 anos de governo, em São Paulo. Não estabeleceram políticas sociais para tirar nossas crianças da marginalidade", disse.Provocando Alckmin, Heloísa Helena destacou que os problemas do desemprego começaram no governo de FHC. O tucano rebateu as críticas dizendo que fará o ajuste fiscal em seu governo e, dessa forma, conseguirá reduzir os juros, incentivando o crescimento econômico e gerando emprego. "Não dá para baixar o juro na marra".Além disso, a saída encontrada pelo tucano foi acusar o presidente ausente ao debate de ter abandonado a segurança pública. "Lula demorou quatro anos para fazer um presídio. Quando o governo federal pediu para ficar com o Fernandinho Beira-Mar eu topei. Era para ficar 30 dias, ficou 2 anos. O governo Lula cortou o dinheiro da segurança. Eram R$ 560 milhões para os Estados. Ele só cortou o dinheiro. É preciso coragem moral para prender o ladrão de galinha e o ladrão do crime de colarinho branco", falou o tucano.Candidatos querem levar disputa para 2º turnoAs considerações finais do debate da TV Globo ficaram em agradecimentos, pedidos de voto e críticas pela ausência do candidato Lula. O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, foi enfático ao pedir aos eleitores "domingo, mande um recado, mude de presidente". E fez outro apelo, lembrando os recentes escândalos do PT: "não é possível achar que essas malas de dinheiro são normais,não podemos perder a capacidade de nos indignar quando há algo errado."O candidato do PDT, Cristovam Buarque, também pediu votos para seu partido e fez seu apelo para que haja segundo turno. "Aqueles que votaram no Lula e perceberam que esse não foi o melhor caminho e aqueles que estão em dúvida, o Brasil precisa de um segundo turno. Votem", A candidata do PSOL, Heloísa Helena, segurou o choro em sua última fala. Fez agradecimentos, lembrou sua infância e disse que sua campanha foi a de "Davi contra Golias". Ela retomou o ataque a Lula, lamentando a ausência do presidente e candidato. "Digo aos meus filhos todos os dias que é proibido roubar. É pena que Lula não esteja aqui para dizer o que ele faz na sua vida e em seu partido", finalizou.Fotos na cadeira vaziaOs candidatos pousaram para fotos junto à cadeira vazia destinada ao presidente. Cristovam pegou a placa com o nome do presidente e colocou na cadeira para dar mais visibilidade para o registro dos fotógrafos. Alckmin chegou a puxar, gentilmente, a candidata do PSOL pra deixar a cadeira vazia aparecer melhor para os fotógrafos.O candidato do PSDB a Presidente da República Geraldo Alckmin chegou ao estúdios da Rede Globo acompanhado do governado de São Paulo Claudio Lembo, do deputado federal Alberto Goldman e do coordenador do seu programa de governo João Meirelles.Ao chegar aos estúdios o deputado Alberto Goldman afirmou que "é ruim pra o País, o presidente não participar do debate". Segundo o deputado tucano, candidato a vice-governador de São Paulo, o presidente Lula apesar de forte eleitoralmente, "é frágil no conhecimento e na profundidade dos temas. Ele ia levar um banho", declarou. Debate com IbopeA TV Globo divulgou que a audiência, no horário da transmissão do debate dos candidatos à Presidência da República, foi acima da média. Em São Paulo, de cada 100 aparelhos de TV, 49 estavam ligados na emissora. A Globo ainda não tem os números nacionais.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 00h51

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.