No DF, 70% dos motoristas suspensos não entregam CNH espontaneamente

Maior parte das suspensões ocorre por embriaguez ao volante; motorista flagrado com habilitação suspensa paga multa de R$ 958 e tem veículo apreendido

Priscila Trindade, Central de Notícias

16 de maio de 2011 | 11h16

SÃO PAULO - Levantamento feito pelo Detran constatou que apenas 30% dos motoristas que perderam o direito de dirigir no Distrito Federal entregam, por livre e espontânea vontade, a carteira nacional de habilitação ao departamento. Segundo o órgão, a maioria dos condutores tem a habilitação recolhida no momento da renovação da CNH.

 

O prazo da suspensão varia de acordo com a gravidade das multas e a reincidência, podendo ser de um mês a dois anos. Dirigir sob a influência de álcool lidera o ranking de infrações que motivaram a suspensão, com 2.534 CNHs suspensas somente em 2010, seguida pelo não uso do capacete (457) e manobras perigosas (319).

 

Em razão desse índice, o Detran passou a monitorar os condutores que tiveram as CNHs suspensas. A operação de monitoramento, realizada pela equipe de diligência do núcleo de policiamento e fiscalização (Nupol), começa a ser feita após o nome do motorista ser publicado no Diário Oficial do DF e de o motorista não cumprir o prazo de 10 úteis para a entrega da CNH na gerência de infrações e penalidades (Gerip).

 

A ação, realizada em viaturas não caracterizadas, tem como objetivo constatar a infração do condutor e recolher a CNH suspensa. Depois de identificada, a pessoa recebe multa de R$ 957,70 e tem o veículo apreendido.

Tudo o que sabemos sobre:
CNHDFDetrantrânsitohabilitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.