No interior, comércio e emergências são afetados

A pane nos serviços da Telefônica prejudicou o comércio em Campinas. Lojistas que dependiam de consultas de crédito, encomendas por telefone e dos sistemas de cartões de crédito e débito tiveram de ter jogo de cintura para não perder as vendas. "A partir das 9 horas não era possível atender o telefone, retornar ligações, não tinha como passar cartão", afirmou a vendedora Karoline Henrique Biano, que trabalha em uma livraria da região central. "Perdemos dez vendas em 1 hora." O gerente de vendas da unidade de uma grande rede de eletrodomésticos confirmou a irritação dos consumidores e o desconforto de quem tentava concluir as vendas. "Não sei quantas perdemos, mas houve desistências."Segundo a Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic), o número de consultas à Central de Proteção ao Crédito caiu 2% ontem, o equivalente a 160 das 8 mil ligações diárias. O período de queda no número de consultas durou cerca de uma hora e meia, pela manhã."É difícil estimar quantas vendas foram perdidas, mas se projetarmos esses 2% das consultas de crédito não realizadas ao faturamento diário do comércio de Campinas, de R$ 20 milhões, significariam R$ 400 mil em perdas. Mas isso só se os 2% significassem a desistência da compra em todos os casos", afirmou o economista Laerte Martins, da Acic. PROBLEMASA pane tirou do ar a central de regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Sorocaba no meio de vários atendimentos. Ligações que relatavam pelo menos um acidente e vários pedidos de ajuda médica foram interrompidas. A pedido da Secretaria da Saúde, foi montado sistema alternativo com celulares para dar suporte a serviços de emergência, como solicitação de ambulâncias. A falha no sistema telefônico durou das 9h30 às 10h30. O Corpo de Bombeiros disponibilizou um número via rádio para as emergências.Já na região de Ribeirão Preto, entre 9 horas e 10h30, não se podia fazer nenhum tipo de interurbano. Não era possível nem falar ao celular. Ligações locais também ficaram totalmente comprometidas. COLABORARAM BRÁS HENRIQUE e JOSÉ MARIA TOMAZELA

Tatiana Fávaro, CAMPINAS, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.