No Piauí, briga pelo Senado vai à Justiça

Disputa acirrada entre 11 candidatos por uma das duas vagas provoca mais de 280 ações no TRE

Luciano Coelho ESPECIAL PARA O ESTADO TERESINA, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2010 | 00h00

A corrida ao Senado está mais acirrada do que para o governo do Estado no Piauí. Com a primeira vaga praticamente definida para o ex-governador Wellington Dias, segundo as pesquisas, a segunda vaga é disputada por 11 candidatos, entre eles os senadores Mão Santa (PSC) e Heráclito Fortes (DEM) e o deputado federal Ciro Nogueira Filho (PP).

As reclamações sobre pesquisas e propaganda eleitoral irregular passaram de 280 na Comissão de Propaganda do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI). Segundo os dados da última pesquisa Ibope, realizada entre os dias 21 e 23, os dois senadores com mais chances de se eleger são Wellington Dias, com 59% dos votos, e Mão Santa, com 30%. O candidato Ciro Nogueira tem 27%, Heráclito Fortes, 20% e o deputado federal petista Antônio José Medeiros, 13%.

Na última semana de campanha os ânimos se acirraram em torno da disputa pela segunda vaga de senador. Tanto Mão Santa quanto Heráclito disseram que são perseguidos pelo governo e pelos petistas, porque fazem oposição. Ciro Nogueira e Antônio José disputam o apoio do presidente Lula e de Dilma Rousseff no horário eleitoral e nas inserções na TV e rádio.

Apoios. Os ministros da Articulação Política, Alexandre Padilha, e das Cidades, Márcio Fortes, gravaram mensagem para Ciro e Antônio José.

Na pesquisa, os indecisos e os que votam em branco ou nulo somam 25%, índice que anima os candidatos. Mas até as pesquisas viraram alvo de disputa judicial. Foram mais de 280 ações de reclamação e representação na comissão de propaganda eleitoral do TRE - 110 ações foram arquivadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.