No quintal das 31 subs, 139 queixas bem à vista

Subprefeitos têm problemas, como lixo na rua, do lado dos gabinetes

DANIEL GONZALES, FÁBIO MAZZITELLI, LUÍSA ALCALDE e MARICI CAPITELLI, O Estadao de S.Paulo

24 Agosto 2009 | 00h00

Como as subprefeituras limpam e conservam o próprio quintal? A pergunta motivou uma jornada de duas semanas e 777 quilômetros da reportagem do Jornal da Tarde nas imediações das 31 subprefeituras paulistanas. Foi vistoriado um raio de até 1 km a partir de cada administração regional, tendo como base uma lista com 32 das atribuições conferidas a subprefeitos, como conservação de guias, limpeza de bueiros, varrição, cata bagulho, podas de árvores, contenção de margem de córregos e tapa-buracos. Flagrantes foram feitos na porta das sedes ou na vizinhança. Conferiu-se também o cumprimento da Lei Cidade Limpa. Foram encontrados 139 problemas, incluindo calçadas esburacadas, comércio irregular, lixo nas ruas e anúncios fora de padrão. Andrea Mattarazzo, secretário municipal da Coordenação das Subprefeituras, afirmou que recomenda aos subprefeitos que pelo menos uma vez por semana percorram as imediações das administrações locais e as principais avenidas. Na avaliação do secretário, que já foi subprefeito da Sé, os 700 fiscais são suficientes para o serviço. O que precisa, segundo ele, é concluir o trabalho que vem sendo feito de informatização. Cidade Tiradentes, no extremo leste, é a subprefeitura com mais problemas. Mas o secretário diz que a região foi a que mais ganhou investimentos e citou como exemplo os parques lineares, além do Centro de Educacional Unificado (CEU). As administrações locais também prometeram soluções para os problemas apresentados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.