No Rio, 150 policiais ocupam cinco morros da Tijuca

Três supostos traficantes foram presos ao tentar fugir

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2010 | 09h58

 

 

RIO - Cerca de 150 homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do 6º Batalhão de Polícia Militar (PM) da Tijuca ocuparam cinco favelas no bairro da zona norte do Rio de Janeiro para implantação da primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Morro do Borel. De acordo com as primeiras informações, não houve troca de tiros, mas três supostos traficantes foram presos após invadirem um apartamento em um dos acessos da favela para fugir dos agentes.

 

Veja também:

Galeria de fotos da ocupação

Quatro favelas são ocupadas pelo Bope: o Morro do Borel, a Chácara do Céu, o Morro da Cruz e o Morro da Casa Branca. No Morro da Formiga, a ocupação é realizada pelo 6ºBatalhão da PM. Ontem, o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), prometeu ocupar todas as 17 favelas da Tijuca neste ano. "Setecentos policiais formados estão disponíveis. Todas as comunidades da Tijuca e outras áreas serão pacificadas até o final deste ano", declarou.

 

A ocupação do Morro do Borel marca a chegada da UPP a uma favela considerada o quartel-general de um dos chefes da facção criminosa Comando Vermelho. Preso em janeiro de 1990, Isaías Costa Rodrigues, o "Isaías do Borel", foi um dos traficantes mais procurados nos anos 80 e, de acordo com a Polícia Civil, ainda dava ordens na favela, mesmo encarcerado no Presídio de Segurança Máxima de Catanduvas (PR). Escutas telefônicas revelaram que familiares de Isaías repassavam as ordens dele.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.