No Rio, 3,4 mil estão fora de casa; BR-116 segue bloqueada

Chuvas castigam Estado desde semana passada; por enquanto, seis pessoas morreram por causa das tempestades

Solange Spigliatti, Central de Notícias

17 Novembro 2009 | 10h53

Cerca de 3.460 moradores atingidos pelas chuvas dos últimos dias no Rio de Janeiro continuavam fora de suas casas nesta terça-feira, 17, segundo levantamento feito pela Coordenação da Defesa Civil do Estado. De acordo com o relatório, as cidades de Tanguá, Valença e Belford Roxo contam ainda com desabrigados e desalojados em função das chuvas.

 

Veja também:

linkChuva derruba prédio e deixa 4 mil fora de casas em MG

 

Em Belford Roxo, o número de desalojados chega a 3.039 e o de desabrigados a 20. Em Tanguá, na região Metropolitana II, permanecem 196 desalojados e 60 desabrigados. Em Valença, são 148 desalojados e 19 desabrigados. Nas demais cidades atingidas pela enchente na semana passada - Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Natividade e Três Rios - as vítimas que haviam deixado suas casas já retornaram.

 

As chuvas dos últimos dias já deixaram seis vítimas fatais no Rio de Janeiro. As três primeiras mortes ocorreram em Nova Iguaçu, na quarta-feira da semana passada, quando um deslizamento de terra atingiu uma casa na Serra do Tinguá, matando dois adultos e uma criança. No domingo, um deslizamento de terra na estrada Rio-Teresópolis (BR-116) atingiu dois veículos. Todos os ocupantes de um dos carros - um casal e uma criança - morreram.

 

Local interditado ontem, durante limpeza feita por operários da CRT. Foto: Fábio Motta/AE

 

Os dois sentidos da rodovia, na altura do km 90, na região serrana do Rio, continuavam totalmente interditados nesta manhã, segundo informações da Concessionária Rio-Teresópolis (CRT), que administra a estrada. Técnicos da empresa estavam no local avaliando a segurança da pista. A previsão é a de que os dois sentidos sejam liberados até o início desta tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.