No Rio, carnaval perigoso para turistas

O carnaval foi perigoso para os turistas que vieram aproveitar a folia no Rio. Mais de cem visitantes estrangeirosforam assaltados na cidade do sábado à terça-feira. A Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), no Leblon, registrouuma média de 30 casos por dia. Em cada dez turistas roubados, três foram agredidos. Hoje de manhã, um finlandês teve a máquina fotográfica roubada em Copacabana. Um peruano foi roubado por uma mulherque seria garota de programa. Ela levou uma bolsa com US$ 100 e seu passaporte. Na terça-feira, durante o desfile da Banda deIpanema, um grupo de israelenses foi perseguido por três jovens armados. Um homem foi detido pela polícia.Os policiais da Deat disseram que 70% dos registros feitos por turistas na delegacia foi de furto ? o caso mais comum é o deestrangeiros que vão à praia e, quando mergulham no mar, deixam a bolsa na areia. Nenhuma vítima foi ferida com gravidade. A ocorrência mais grave do carnaval foi a do comissário de bordo israelense Avi Lancry, extorquido, na madrugada de ontem, pordois policiais do batalhão da PM do Leblon, que lhe roubaram US$ 5 mil (cerca de R$ 15 mil). Lancry contou ter sido abordadopelos policiais na Avenida Atlântica, na terça de madrugada. Ele foi obrigado a entrar no carro da PM. Depois de meia horarodando de carro com Lancry, os policiais lhe tiraram a carteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.