No Rio, Disque-Denúncia oferece R$ 11 mil por 'Viúva-negra'

Heloísa Borba Gonçalves foi condenada, em 2004, por assassinar um homem com quem teve relacionamento amoroso

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

28 Abril 2011 | 17h16

SÃO PAULO - O Disque-Denúncia do Rio de Janeiro subiu no último domingo, 24, de R$ 2 mil para R$ 11 mil o valor da recompensa para quem encontrar Heloísa Borba Gonçalves, a mulher conhecida como "viúva-negra". Ela foi condenada em 2004 pela Justiça do Rio de Janeiro e agora figura como a maior recompensa na lista dos procurados.

 

O apelido tem origem no tipo de crime cometido. Os machos das aranhas da espécie conhecida como viúva-negra morrem após a relação sexual com a fêmea. Heloísa é acusada de assassinar diversos homens com quem teve relacionamentos amorosos. Ela foi condenada a mais de 36 anos de prisão, pela 19ª Vara Criminal, e responde na 1ª Vara Criminal a outro processo por dois assassinatos e tentativa de um terceiro.

 

Heloísa também está na lista dos procurados da Interpol, à qual 188 países tem acesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.