No Rio, Fundação Oscar Niemeyer receberá R$ 10 milhões

Oscar Niemeyer, que projetou o Teatro Popular, com inauguração marcada para quinta-feira, 5, no Rio, vai ganhador exposições de fotografias e gravuras em homenagem ao seu centenário. As comemorações vão ser em Niterói, no Museu de Arte Contemporânea, projetado por ele e erguido sobre um platô na Praia da Boa Viagem em 1996, além de homenagens do Balé de Niterói e apresentações no Teatro Popular. A presença do aniversariante não está confirmada. "Não vou comemorar. Eu vou me esconder", disse Niemeyer à reportagem. O ponto alto da festa será a inauguração da Fundação Oscar Niemeyer. Quinta-feira o governo federal anunciará a liberação de R$ 10 milhões para a conclusão do prédio, cuja estrutura foi financiada pelo Consórcio Barcas S/A. A fundação divide o terreno com o Teatro Popular e o Memorial Roberto Silveira, outra obra de Niemeyer já terminada e que deveria reunir 200 mil documentos sobre a história de cidade e do Estado, mas que só tem funcionado como local para reuniões. A Fundação Oscar Niemeyer terá em seu acervo croquis, gravuras, livros e fotografias do arquiteto. Entre os projetos estão o do Museu de Arte Contemporânea e do Caminho Niemeyer, conjunto de prédios e praças projetados na orla de Niterói. Desses, estão concluídos o teatro, o memorial, uma praça com estacionamento subterrâneo e a estação de catamarãs em Charitas. Teatro Popular Quem atravessa a Baía de Guanabara, em direção a Niterói, tem a atenção desviada para uma construção à direita, ao chegar à cidade. A estrutura curvilínea não deixa dúvidas de que se trata de uma das obras do arquiteto Oscar Niemeyer. O Teatro Popular será inaugurado na quinta, com festa promovida por alunos da rede municipal, cirandas e grupos folclórico. ?A idéia é fazer algo alegre, leve, espontâneo?, diz a futura diretora, Marilda Ormy. O Teatro Popular Oscar Niemeyer fica no centro de Niterói, à beira da Baía de Guanabara. Para chegar até o prédio, é preciso caminhar sobre o piso de concreto, que reflete o sol e amplia o calor. Não há sombras. Uma rampa helicoidal dá acesso ao foyer. Ali, a recompensa - o vão deixado pelo arquiteto dá passagem para a brisa do mar e permite a visão deslumbrante da baía, da Ponte Rio-Niterói e do centro do Rio. ?Fiz essa rampa de modo que o visitante possa observar a arquitetura enquanto se dirige ao teatro?, explicou o arquiteto.

Agencia Estado,

04 Abril 2007 | 14h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.