Reprodução
Reprodução

No Rio, mata-mosquitos usam sindicato para promover Dilma

'Prática é ilegal', adverte Paulo Carvalho Filho, que vai levar o caso à [br]Procuradoria da Justiça Eleitoral, em Brasília

Clarissa Thomé / RIO, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2010 | 00h00

O Sindicato de Trabalhadores de Combate às Endemias e Saúde Preventiva (Sintsaúde-RJ) tem usado o blog oficial da entidade para fazer campanha para a petista, Dilma Rousseff. O sindicato é o mesmo que promoveu a manifestação em Campo Grande, na zona oeste, quando o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, foi agredido.

O coordenador da Fiscalização da Propaganda Eleitoral na capital, juiz Paulo César Vieira de Carvalho Filho, afirmou que a prática é ilegal e vai reportar o caso à Procuradoria Regional Eleitoral, em Brasília.

"Essa prática fere a Lei Eleitoral. A rede social é livre, mas sindicato não pode fazer campanha política", afirmou o juiz, ao tomar conhecimento das publicações feitas no blog. Carvalho Filho explicou que, por se tratar da campanha presidencial, a competência cabe à procuradoria em Brasília. "As informações a respeito da campanha devem ser retiradas do site e a candidata pode ser multada se ficar comprovado que ela tinha conhecimento e que era beneficiada pela prática. O sindicato também pode ser multado", afirmou.

Convocação. As notas publicadas no blog sintsauderj.blogspot.com alternam informações de interesse dos trabalhadores com mensagens a respeito da campanha presidencial, como uma chamada para o lançamento do programa de governo petista.

Em 18 de outubro, por exemplo, há a convocação para uma manifestação pró-Dilma na Central do Brasil, sob o título Atividade Dilma Presidente, convidam os trabalhadores para darem sua contribuição "à nossa causa, Dilma 13 Presidenta do Brasil".

Carta. Em 17 de outubro, o blog publicou uma carta aberta aos servidores públicos, lembrando a proximidade do segundo turno. "Esta decisão (sobre o voto) será tomada após uma avaliação criteriosa de cada um de nós, teremos que escolher entre dois projetos diferentes, um representado por FHC e Serra que arrochou os nossos salários por oito anos, aonde (sic) ficamos 8 anos sem reajustes salariais, e um outro projeto representado por Lula e Dilma que institui o processo de negociação permanente com os servidores públicos", diz trecho da nota, que lembra ainda que Serra, como ministro da Saúde, "demitiu quase 6 mil mata-mosquitos".

Agressões. O Sintsaúde é dirigido por José Ribamar e Sandro Alex de Oliveira Cezar, que estavam na linha de frente da manifestação que acabou com troca de agressões entre militantes petistas e do PSDB, na quarta-feira.

Eles foram citados na representação entregue pelos advogados da coligação O Brasil Pode Mais, de Serra, à Procuradoria-Geral da República, em que pedem investigação e punição do tumulto. Cezar é conhecido como Sandro Mata-mosquito e foi candidato a deputado estadual pelo PT. Na ocasião da agressão a Serra, explicou que soube da atividade de campanha do tucano e decidiu reunir um grupo de ex-mata-mosquitos para protestar. Ontem, Sandro foi procurado pela reportagem, mas não deu retorno às ligações.

Ribamar e Sandro aparecem abraçados com Lula em foto postada no blog do Sintsaúde. A foto foi feita no Palácio do Alvorada, em 26 de outubro de 2009, durante a comemoração do aniversário do presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.