No Rio, operação retira 69 pessoas de 'cracolândia'

É a primeira ação após a regulamentação que determina ' internação compulsória' de jovens

Tiago Rogero , Estadão.com.br

03 de junho de 2011 | 11h53

RIO - Uma operação para retirar moradores de rua da chamada "cracolândia" da favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio, recolheu 69 pessoas na manhã desta sexta-feira, 3. Foram 53 adultos e 16 crianças e adolescentes. É a décima ação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smas) em parceria com as Polícias Civil e Militar nos últimos dois meses para o recolhimento de usuários de crack; a quarta na comunidade.

 

A ação foi a primeira após a publicação no Diário Oficial do Município, na última segunda-feira, da regulamentação que determina a "internação compulsória" dos jovens para tratamento médico, mesmo contra a vontade deles ou da família. A medida vale somente para os que, na avaliação de um especialista, estiverem com dependência química.

 

As crianças e adolescentes recolhidos na operação de hoje serão conduzidas à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), para o processo de identificação. Depois, serão levadas à Central de Recepção Carioca, onde passarão pela avaliação de médicos que "irão diagnosticar o grau de dependência química", segundo a Smas. As que necessitarem de internação compulsória serão encaminhadas à Casa Viva, em Laranjeiras, na zona sul do Rio, e as demais para outros abrigos da rede municipal.

 

A Smas afirmou, nesta sexta-feira, que os dados apontam um declínio do número de pessoas que frequentam a "cracolândia" do Jacarezinho, já que nas últimas operações o total de recolhidos no local foi de 76, em 25 de maio, e 101, em 12 de maio. Desde o dia 31 de março, quando foi realizada a primeira operação na cidade, 760 pessoas foram retiradas das ruas: 591 adultos e 169 crianças e adolescentes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.