Condenado a 98 anos de prisão é recapturado um dia após fuga no RS

Carlos Evair Souza da Silva, o 'Nego Zu', fugiu após abrir buraco em muro da Penitenciária de Charqueadas

Lucas Azevedo - Especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2015 | 20h28

PORTO ALEGRE - Cerca de 24 horas depois de abrir um buraco em um muro e pular outro da Pasc (Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas), na região metropolitana de Porto Alegre, o apenado Carlos Evair Souza da Silva, 27 anos, foi recapturado. Conhecido como "Nego Zu", ele havia fugido no início da noite desse sábado, logo após o horário de visitas.

Silva foi encontrado por agentes penitenciários escondido em uma praça, próximo ao matagal em que as buscas estavam concentradas. Ele estava usando roupas de uma outra pessoa. Silva teria se escondido em outra casa prisional, o Instituto Escola Profissionalizante Charqueadas, próximo à Pasc, mas foi pressionado por outros detentos a deixar o local. O apenado foi encaminhado ao Presídio Central, em Porto Alegre, para, nesta segunda-feira, ser levado novamente à Pasc para cumprir o resto da pena.

A Policia Civil abrirá inquérito para apurar as condições em que Silva conseguiu escapar da penitenciária. Imagens de câmeras de segurança da Pasc foram solicitadas. Um dos objetivos é verificar  se Silva recebeu algum auxílio de agentes prisionais para escapar.  Silva é condenado por dez assaltos, latrocínio (roubo seguido de morte) e homicídio. Ele é o quarto detento que consegue escapar da Pasc, penitenciária tida como de alta segurança, mas que coleciona uma série de denúncias de irregularidades, desde assassinatos de presos por outros presos, até a utilização, pelos apenados,de telefones celulares. Antes de Silva, Cláudio Adriano Ribeiro, o Papagaio, conseguiu fugir em 1999. Doze anos depois, em 2011, foi a vez de Sandro Alexandre de Paula. Um ano depois, Michel Bonotto escapou durante o horário de visita, deixando seu irmão em seu lugar. Todos foram recapturados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.