NO RS, hidrelétricas paralisadas

A falta de chuvas nas regiões norte e nordeste do Rio Grande do Sul forçou a paralisação e a diminuição do ritmo de produção de 12 usinas hidrelétricas. A estiagem deixou os níveis dos reservatórios em parâmetros mínimos, exigindo o desligamento das turbinas. É o caso da Usina Hidrelétrica de Machadinho, segunda maior em operação no Estado, que fica sob o leito do Rio Uruguai, na divisa com Santa Catarina. Como o manancial está 14 metros abaixo do normal, se fez necessária a interrupção na geração de energia. A usina tem capacidade para produzir 1.140 megawatts, o suficiente para abastecer cerca de 25% da demanda do Estado. Para evitar o risco de suspensão no fornecimento de eletricidade, a Região Sudeste está produzindo mais e distribuindo para o Sul. Na semana passada, já havia sido determinado o aumento da geração de energia nas usinas térmicas e o acréscimo da compra de gás boliviano. A Usina Hidrelétrica de Itá, também no Rio Uruguai, produz somente 12% da sua capacidade de 1.450 megawatts. As águas da região estão 3,35 metros abaixo do nível normal. Das 11 usinas existentes no Rio Jacuí, quatro com grandes reservatórios seguem operando. A seca também prejudica o abastecimento da população. Já são 182 municípios gaúchos em situação de emergência. A Defesa Civil calcula que 1 milhão de pessoas são afetadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.