No último dia, apostador retira prêmio da Mega-Sena

Só na segunda, após reportagens, ganhador se lembrou de conferir bilhete

Hélcio Consolino, TAUBATÉ, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 00h00

Parecia até suspense de último capítulo de novela de horário nobre ou final de partida Brasil x Argentina. Esse era o clima entre os moradores de Taubaté, a 130 quilômetros de São Paulo, até a tarde de ontem, prazo final para que aparecesse o apostador da cidade que ganhou pouco mais de R$ 5,2 milhões, metade do prêmio acumulado do concurso 1.055 da Mega-Sena. O sorteio, realizado em 11 de março, também premiou um morador de Capivari, que já retirou a bolada.O prazo final para retirar o prêmio acabava às 16 horas, término do expediente bancário na cidade. O mistério acabou às 13h30, quando os computadores da Caixa Econômica Federal registraram a validação do bilhete.Final feliz para essa corrida milionária contra o tempo. "Acho que ele estava preparando tudo para, no último dia, pegar o dinheiro e viajar para longe", arriscou a secretária executiva Fátima Carvalho, que aproveitou o dia para também fazer uma "fezinha" na mesma lotérica onde saiu o prêmio do apostador misterioso. Palpite errado.Segundo o superintendente regional da Caixa no Vale do Paraíba, Antonio Eduardo Ferreira Alves, o bilhete estava esquecido e o ganhador só foi alertado depois de assistir e ler as reportagens alertando sobre o prazo final."Há 20 anos ele apostava nas mesmas dezenas (12 - 15 - 16 - 20 - 27 - 32) e guardava embaixo de uma imagem de Nossa Senhora Aparecida",contou o executivo.A procedência do ganhador não foi divulgada por questões de segurança, mas o superintendente garantiu que o bilhete foi validado em uma agência do Vale do Paraíba. O ganhador tem 40 anos, é casado, tem uma filha e é corintiano. Conforme o superintendente da Caixa, a mulher havia feito faxina na casa e guardado o bilhete em outro local."Somente com as notícias é que o apostador lembrou e, na segunda-feira, quando ela voltou da faculdade, eles conferiram o prêmio", acrescentou.Conforme Alves, o novo milionário aplicou em poupança e fundos de investimentos. "Em breve, ele vai recuperar os mais de R$ 120 mil que deixou de ganhar nesses três meses, já que o dinheiro ficou parado, sem rendimento", completou. Caso o sortudo não aparecesse, o dinheiro seria destinado ao Fundo de Financiamento do Ensino Superior (Fies).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.