Noite de delírios criativos e muito luxo no Rio

Vila Isabel e Beija-Flor levaram suntuosidade à Marquês de Sapucaí, apostando, respectivamente, em balé e muitos efeitos com água; Grande Rio também impressionou ao retratar história e cultura da França

, O Estadao de S.Paulo

24 Fevereiro 2009 | 00h00

Vila Isabel coloca balé na avenidaCom o enredo Theatro Municipal - A Centenária Maravilha, os carnavalescos Alex de Souza e Paulo Barros segmentaram o desfile da Vila Isabel em oito capítulos, que mostravam como foi a construção do Teatro Municipal do Rio e seus mais célebres espetáculos e bailes de gala. Os carros luxuosos da escola encantaram a Sapucaí - teve destaque a alegoria que levou o balé Lago dos Cisnes e a bailarina Ana Botafogo. Outro carro que chamou a atenção tinha fachada que podia ser derrubada e reerguida.?Banho? de ideias na Beija-FlorEm busca do tricampeonato, a Beija-Flor caprichou no desfile sobre a evolução da relação do homem com o banho na história. Mostrou, como é de costume, carros alegóricos luxuosos, fantasias bem acabadas e criativas e muita organização. A agremiação, que teve de desenvolver seu desfile milionário sem qualquer patrocínio (tentou acordos com várias empresas de sabonete e sabão em pó, mas só levou "não"), levou alegorias grandiosas ao Sambódromo. Cinco dos oito carros tinham efeitos com água.Na Mocidade, início turbulentoAntes de entrar na Sapucaí, a Mocidade Independente de Padre Miguel teve problemas com o carro abre-alas: os bombeiros confundiram efeitos especiais com princípio de incêndio. A alegoria atropelou o carnavalesco Cláudio Cavalcanti, que foi levado para o hospital. A escola homenageou os escritores Machado de Assis e Guimarães Rosa.Simplicidade dá o tom na ImpérioA Império Serrano abriu a primeira noite de desfiles do Grupo Especial do Rio, no domingo, com uma releitura do samba-enredo A Lenda das Sereias, de 1976. Com orçamento apertado, a escola optou por fantasias simples e alegorias pequenas. Recém-chegada à elite do samba carioca, a escola luta para não voltar ao Grupo de Acesso.Festa à francesa na Grande Rio Escola mais rica de 2009, a Grande Rio fez um desfile suntuoso, com muitas plumas e paetês, mas não o suficiente para levar o público a cantar o samba. A agremiação buscou seu primeiro título com enredo sobre o ano da França no Brasil. Dois carros foram bastante criativos - um representando o Moulin Rouge e outro sobre a Revolução Francesa.Dívida não afeta desfile da TijucaA Unidos da Tijuca fez um bonito desfile sobre o espaço sideral. Mas, como foi a última escola a desfilar, apresentou-se diante de um Sambódromo vazio e pouco empolgou. Mesmo sem conseguir captar patrocínios, a escola do Morro do Borel não economizou e gastou cerca de R$ 6 milhões no carnaval. Pela primeira vez na história, encerrou o ano com dívidas. Na Sapucaí, mostrou fantasias luxuosas, criativas e bem acabadas, inspiradas em filmes e seriados como Guerra nas Estrelas, Star Trek e Homens de Preto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.