Noites continuarão frias em São Paulo

Após registrar a madrugada mais fria desde julho de 2004, a capital paulista teve um dia ensolarado e de tempo firme, com temperatura máxima de 21,8 graus no Mirante de Santana, na zona norte. A temperatura voltou a cair, no início da noite, e a previsão é de que a madrugada seja fria, com os termômetros chegando a 8 graus, segundo o meteorologista da Climatempo, Marcelo Pinheiro. Para os próximos dias, a previsão é de que os dias continuem muito ensolarados e as madrugadas frias.A causa dos dias de sol e as noites de frio é uma massa de ar polar que está sobre o Sul, deixando o tempo aberto e a temperatura baixa em todos os Estados do País. A situação deve mudar um pouco a partir de quinta-feira, 24, quando a massa de ar frio perderá força.Diversas cidades do País registraram nesta terça-feira, 22, o dia mais frio do ano. A menor temperatura, 3 graus negativos, foi observada no início da manhã em Campos Novos (SC). São Joaquim, outra cidade catarinense famosa pelo frio, marcou 2,5 graus negativos. Nos dois locais, a geada foi forte, segundo a Climatempo. As menores temperaturas costumam ser registradas no final da madrugada. No Paraná, o local mais frio nesta terça, 22, foi União da Vitória, no sul do Estado, com 1,7 grau negativo. Palmas, também no sul, registrou 1,1 grau negativo, e Toledo, no oeste, 0,6 grau negativo. Em Pinhão, no centro-sul, e Palotina, no oeste, a temperatura mínima foi de 0 grau.Pela manhã, em Curitiba e outros municípios paranaenses, os termômetros marcaram 1,8 grau. Foi o dia mais frio do ano na região. Os campos ficaram cobertos por uma camada de geada. Durante a noite de segunda, 21, foram recolhidas 190 pessoas nas ruas da cidade. As baixas temperaturas são resultado de uma massa de ar polar que cobre a região Centro-Sul do País e deve permanecer pelo menos até quarta-feira, 23. A madrugada mais fria do ano registrou em Campos do Jordão, cidade da Serra da Mantiqueira, em São Paulo, um grau abaixo de zero e alguns pontos de geada no Horto Florestal do Estado. A cidade amanheceu coberta por uma névoa que chegou a esconder as montanhas e araucárias. Por volta das 8 horas, a temperatura ainda estava em torno de 1 grau.Para os próximos dias, de acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Inpe, a temperatura pode subir um pouco, mas as mínimas ficam entre 3 e 7 graus. Na capital paulista, a mais baixa temperatura do ano - 7,7 graus - provocou o rompimento de um cabo da rede elétrica. A circulação de trens em duas linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ficou interrompida por cerca de três horas, a partir das 4h45, o que prejudicou a rotina de 8.500 passageiros.Os albergues de São Paulo alcançaram, pela primeira vez em 2006, a lotação máxima. As 8 mil vagas foram totalmente ocupadas por moradores de rua. No interior do Estado, a umidade do ar melhorou. Em Ribeirão Preto, após um dia de clima de deserto (4,7%), a cidade registrou às 15 horas desta terça, 22, índice de 11,2%. No Rio, a frente fria provocou ressaca com ondas de até 2 metros nas praias das zonas sul e oeste. Em Ipanema, o mar chegou a cobrir toda a faixa de areia. Por causa da força dos ventos e da correnteza, dois pingüins e um gavião tiveram de ser resgatados por bombeiros na Praia de Guaratiba. O alerta marítimo continua até quinta-feira, 24, quando a frente fria deverá deixar o litoral. (Simone Menocchi, Evandro Fadel, Camila Anauate, Brás Henrique e Pilar Magnavitad)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.