Nomeação de Garotinho surpreende governo federal

A nomeação do ex-governador do Rio Anthony Garotinho para a secretaria de Segurança Pública do Estado pegou de surpresa grande parte do governo federal. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, foi avisado por assessores e não quis fazer comentários. ?É um assunto interno do Rio de Janeiro?, afirmou Thomaz Bastos. ?Torço para que tudo dê certo com o novo parceiro.?Desafeto de Garotinho, o secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares, afirmou que o ex-governador teve uma postura corajosa assumindo o posto. Mas nos bastidores do governo, a reação foi além da surpresa, chegando à ironia em alguns setores. ?Agora vai?, afirmou ironicamente um integrante do primeiro escalão da República.Em outros setores, a avaliação é de que Garotinho pode estar aceitando o cargo para ganhar foro privilegiado, caso seja arrolado no processo que apura a cobrança de propina por fiscais da Secretaria de Fazenda do Estado, onde está envolvido Rodrigo Silveirinha Corrêa, ex-subsecretário no período em que o ex-governador administrava o Estado. Se for envolvido, o caso passará da justiça de primeira instância para o Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio.O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, considerou ?inédita e estranha? a decisão da governadora do Rio. Mas disse que ainda não tinha opinião formada sobre a legalidade ou não da indicação de Garotinho para um cargo de confiança no governo do Rio.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.