Northrop pode ter de pagar advogado por acidente da TAM em 96

Um tribunal da Califórnia decidiunesta terça-feira que a Northrop Grumman pode dever 10 milhõesde dólares a um advogado brasileiro que venceu um julgamento de100 milhões de dólares contra a fabricante de equipamentos dedefesa e aeroespaciais por conta do acidente com um avião daTAM em 1996, que matou 99 pessoas em São Paulo. A decisão do tribunal de apelações de Los Angeles reverteua conclusão de uma instância inferior de que o advogado RenatoGuimarães Jr. havia esperado tempo demais para fazer suareivindicação pelos honorários de advogados em cortes dosEstados Unidos. Mas o tribunal decidiu que um estatuto que impõe 10 anos deprazo pode ser aplicado, ao invés do limite de quatro anosrespaldado pela corte inferior. Após um julgamento em 2000, um tribunal brasileiro concluiuque a Northrop era culpada pelo acidente, ocasionado por umafalha no reverso fabricado pela companhia. A empresa foicondenada a pagar mais de 100 milhões de dólares emindenizações às famílias mais os honorários de 20 por cento dosadvogados. A Northrop recorreu da decisão, mas fez um acordo com asfamílias no decorrer do recurso. A companhia pagou 50 milhões de dólares, mais as taxas deadvogados, para uma empresa em Nova York que serviu deconselheira dos advogados nos EUA, mas recusou a pagarGuimarães, que havia aberto o caso no Brasil, segundo WalterLack, advogado de Los Angeles que representa o brasileiro. (Por Gina Keating)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.