Reprodução
Reprodução

Nos 80 anos de morte de Dumont, escritora fala sobre estilo do inventor

Autora de 'O Homem Voa!', Nancy Winters relembra influência de Alberto Santos Dumont sobre aviação e moda

Tatiana Gerasimenko, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2012 | 17h59

Inspiração para os ares, inspiração para a moda: assim Santos Dumont é descrito pela poetisa, jornalista e escritora norte-americana Nancy Winters. Autora do livro 'O Homem Voa! A Vida de Santos Dumont, o Conquistador' (Editora DBA, 2000), ela mergulhou no universo do inventor brasileiro para resgatar detalhes interessantes de sua história. Nos 80 anos de sua morte, Nancy relembrou em entrevista ao 'estadao.com.br' algumas das peculiaridades do cientista: 

Qual foi o maior feito de Santos Dumont?

Nancy Winters - Seguir o seu sonho.

Santos Dumont realmente esteve preocupado com a forma como os aviões passaram a ser usados?

Nancy Winters - Santos (ou Alberto, como meu editor costuma chamar) estava preocupado sobre o uso de aeronaves no começo da guerra. Como um idealista, ele sempre acreditou que os aviões poderiam contribuir para a paz, ao fazer o mundo menor. Como cientista, ele não poderia deixar de ver os muito usos que eles teriam na guerra. Delineando os ventos sobre o Mediterrâneo, ele percebeu como seria fácil atingir submarinos. Apesar de seus temores, ele prometeu uma frota ao governo em caso de necessidade, ao mesmo tempo em que reivindicava paz - mesmo sem sucesso

Qual personalidade poderia ser comparada a Santos Dumont?

Nancy Winters - Richard Branson*, obviamente! Um rebelde, um inventor, sem medo, com muito estilo, imaginação e um gosto por uma vida diferenciada.

Qual foi o verdadeiro motivo da morte de Santos Dumont?

Nancy Winters - Seu desespero em ver brasileiros voando para bombardear os seus compatriotas, com o agravante de sua doença, era mais do que ele conseguiria suportar.

Pelo que Dumont deve ser lembrado pelos brasileiros?

Nancy Winters - Brasileiros devem ter (e têm) orgulho da sua determinação, sua imaginação, seu espírito, sua coragem, sua humanidade, sua generosidade. Ele não tirou nenhuma patente, ao contrário dos irmãos Wright, e distribuiu o dinheiro de seu prêmio para os trabalhadores do Rio - resgatando suas promessas, acredito. Além disso, o que não deve ser subestimado: o seu estilo, inspiração para a moda (o relógio de pulso e o colarinho de Santos Dumont, por exemplo).

* Fundador do grupo Virgin, responsável, entre outras, pela editora Virgin Records e a Virgin Atlantic Airways.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.