Nos centros de memória, o resgate do passado

Um dos caminhos para o resgate do tempo perdido encontrado pelos pesquisadores da USP é a criação de centros de memória nas escolas. A experiência já foi desenvolvida em nove instituições técnicas, duas escolas municipais em Pedreira, no interior, na Escola de Aplicação da USP e na atual Escola Estadual Padre Anchieta, antiga Escola Normal do Brás, fundada em 1912.A vice-diretora da Faculdade de Educação da USP e orientadora do projeto, Maria Cecília Cortez Christiano de Souza, lembra que no ano passado, durante o início da criação do centro de memória na Escola Padre Anchieta, peças raras foram encontradas, incluindo um piano que estava encostado ao lado dos materiais de reforma. Hoje as peças estão sendo organizadas para, no ano que vem, a comunidade ter livre acesso ao acervo. O CME/FE-USP também produziu material didático para as escolas, incluindo uma revista em quadrinhos com a "turminha da memória", um jogo de tabuleiro inspirado em "Detetive", que trata a temática da preservação do acervo, e um manual para organização das peças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.