Nos EUA, linhas zigue-zague para concentrar motoristas

Elas foram pintadas 150 metros antes de dois movimentados cruzamentos

Derek Kravitz, The Washington Post, O Estadao de S.Paulo

10 de maio de 2009 | 00h00

Como parte de uma experiência que tem por objetivo deixar motoristas perplexos a ponto de desacelerarem o carro perto da faixa de pedestres, a secretaria de Transportes do Estado americano da Virgínia pintou no mês passado 150 metros de linhas brancas em zigue-zague perto de dois pontos onde a estrada cruza com trilhas muito procuradas por ciclistas e adeptos das caminhadas no subúrbio de Loudoun County. Com isso, o primeiro pensamento que surge aos motoristas confusos é: será que essa sinalização foi pintada por bêbados? Engenheiros dizem que a ideia foi empregada primeiro na Austrália, na Inglaterra e no País de Gales. E, se reduzir o número de acidentes durante o período de testes, que deve durar um ano, sua aplicação será mais difundida pela região. "O objetivo é aumentar a concentração do motorista", explica Lance Dougald, analista do Conselho de Pesquisas em Transporte da Virgínia. "O zigue-zague foi projetado para combater os efeitos hipnóticos da estrada." Mas a reação do público aos zigue-zagues tem sido ambígua. Algumas pessoas se queixam, dizendo que as linhas fazem com que os motoristas confusos façam curvas bruscas com o carro, enquanto outras duvidam que a sinalização mantenha a capacidade de alterar o comportamento dos motoristas no longo prazo.O motorista Glenn Maravetz, por exemplo, acredita que a "distração" das linhas pode ter efeito contrário e acabar desviando a atenção de quem está ao volante, impedindo que repare, por exemplo, nos ciclistas que tentam atravessar o cruzamento da estrada com a trilha de Washington e Old Dominion, de 72 quilômetros de comprimento. Mas, para Barbara Munsey, que faz parte da comissão de planejamento de Loudoun County, a sinalização é "bastante chamativa".Randy Dittberner, engenheiro que trabalha na divisão da Secretaria de Transportes da Virgínia na localidade suburbana de Chantilly, destacou que os congestionamentos, a visibilidade limitada e o excesso de velocidade são as principais preocupações nos dois pontos da Rota 7 onde a sinalização foi aplicada. Um dos cruzamentos apresenta movimento diário de 14 mil veículos a uma velocidade média de 70 km/h; o outro apresenta movimento de 25 mil veículos por dia numa velocidade média de 60 km/h.Há muito os acidentes são um problema nos pontos em que a trilha de Washington e Old Dominion cruza com estradas. Entre 2002 e 2008, houve 23 acidentes nesses pontos, quase todos eles envolvendo ciclistas. Um psicólogo de 54 anos morreu em junho de 2006, ao ser atingido por um carro na cidade próxima de Fairfax County.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.